22 de agosto de 2012 - 08:53

Brasil homenageia centenário de Jorge Amado

(Escrito Jorge Amado (1912-2001) / Foto: Portal Brasil)

Jorge Amado, um dos escritores mais conhecidos do Brasil,  completaria cem anos no último dia 10 de agosto. Em homenagem a data, desde o ano passado, diversas ações, principalmente na Bahia, terra natal do autor, estão sendo realizadas para marcar o período. A programação do Centenário se estende até o mês de dezembro de 2012 e faz parte do projeto “Ano Jorge Amado”.

Memórias

Em Salvador, no Museu de Arte Moderna da Bahia, está sendo realizada desde o último dia 9 de agosto, a exposição “Jorge, Amado e Universal”, que tem apoio do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet . A exposição está dividida em módulos, cada um dedicado a um aspecto marcante na vida do escritor. São fotografias, objetos, folhetos de cordel, filmes e imagens, além de depoimentos de amigos, artistas, críticos e fãs. A exposição segue até o dia 14 de outubro. Antes de ir à Bahia, São Paulo recebeu a exposição que atraiu mais de 130 mil pessoas.

Oficinas

O Museu de Arte da Bahia promove, durante todo o mês de agosto, oficinas de desenhos relacionadas ao universo infantil na literatura de Jorge Amado a partir dos livros “O menino grapiúna” e “O gato malhado e a andorinha sinhá”. As oficinas acontecem até o dia 30.

Espetáculo

Baseada na obra “Sumiço da Santa”, publicada em 1988, a adaptação do texto é de Gil Vicente Tavares (Sargento Getúlio). A peça será realizada em  6 de setembro no teatro ACbeu

Livro “O ABC de Jorge Amado”

Livro de Cordel em Homenagem ao Centenário de Jorge Amado, idealizado pelo cantor, compositor e escritor Moraes Moreira, com ilustrações do artista plástico Bel Borba. O lançamento será dia 30 de agosto.

Jorge Cine Amado

Jorge Cine Amado é uma mostra itinerante composta por quatro longas e dois documentários em comemoração ao centenário de Jorge Amado. É composta por adaptações cinematográficas das obras literárias “Dona Flor e seus Dois Maridos”; “Quincas berro D’água”; “Tieta do Agreste” e “Capitães de Areia”. O cronograma se inicia no dia 08 de outubro em Porto Seguro e segue pelo interior da Bahia, nos municípios de Lençóis, Cachoeira, Salvador, Jacobina e Juazeiro e  se encerra em Salvador na primeira semana de dezembro.

Academia Brasileira de Letras e a homenagem

A Academia Brasileira de Letras inaugurou a exposição “Jorge Amado – 100 anos”. A mostra está aberta ao público, de segunda a sexta-feira, no 1º andar do Centro Cultural do Brasil, sede da ABL, no Rio de Janeiro, até o dia 28 de setembro, das 10 às 18 horas. A entrada é gratuita.

Acesse a programação completa na página eletrônica:

Um pouco de história

Filho de fazendeiro de cacau, Jorge Amado nasceu no município de Itabuna (BA), em 10 de agosto de 1912. Quando estava perto de completar dois anos de idade, a família mudou-se para o município de Ilhéus, onde passou toda a infância. Já na adolescência, passou a morar em Salvador. Com apenas 15 anos, começou a trabalhar em jornais e a participar da vida literária, sendo um dos fundadores da Academia dos Rebeldes, grupo de tendência modernista.

Jorge Amado teve suas obras literárias publicadas em diversas línguas nos mais diferentes países. Lançou seu primeiro romance, “O País do Carnaval”, em 1931. Seus livros também foram adaptados para diversas peças de teatro, cinema e séries de televisão, como por exemplo, “Tieta do Agreste”, “Dona Flor e seus Dois Maridos” e “Gabriela”, que atualmente está sendo exibida em formato de novela em canal aberto de TV.

Casado com a também escritora, Zélia Gattai, com quem teve um filho, Jorge Amado se exilou  na França e após na Tchecoslováquia. De volta ao Brasil, Amado lançou o romance “Os subterrâneos da liberdade”, sobre o líder comunista Luiz Carlos Prestes e deixou a militância política para se dedicar integralmente à literatura.

Em 1961 foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras ocupando a cadeira de número 23. O escritor faleceu em 6 de agosto de 2001, quatro dias antes de seu aniversário em 2001, onde completaria 89 anos.

Obras publicadas :

O país do carnaval (1931)

Cacau (1933)

Suor (1934)

Jubiabá (1934)

Mar morto (1936)

Capitães da areia (1937)

ABC de Castro Alves (1941)

O cavaleiro da esperança (1942)

Terras do sem fim (1943)

São Jorge dos Ilhéus (1944)

Bahia de Todos os Santos (1944)

O amor do soldado (1944)

Seara vermelha (1946)

O mundo da paz (1951)

Os subterrâneos da liberdade (1954)

Gabriela, cravo e canela (1958)

A morte e a morte de Quincas Berro D’água (1961)

Os velhos marinheiros (1961)

Os pastores da noite (1964)

Dona Flor e seus dois maridos (1966)

Tenda dos milagres (1969)

Teresa Batista cansada de guerra (1972)

O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá (1976)

Tieta do Agreste (1977)

Farda, fardão, camisola de dormir (1979)

O menino grapiúna (1981)

A bola e o goleiro (1984)

Tocaia Grande (1984)

O sumiço da santa: uma história de feitiçaria (1988)

Navegação de cabotagem (1992)

A descoberta da América pelos turcos (1992)

O milagre dos pássaros (1997)

 

 
Portal Brasil

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br