6 de junho de 2012 - 09:22

Israel anuncia construção de casas para colonos na Cisjordânia

Israel anunciou na quarta-feira a construção de 851 novos imóveis para colonos na Cisjordânia ocupada, horas depois de o Parlamento rejeitar um projeto que legalizaria todos os apartamentos de colonos em terrenos particulares pertencentes a palestinos.

O ministro da Habitação, Ariel Atias, divulgou nota anunciando a construção de 551 unidades habitacionais em vários assentamentos da Cisjordânia, e o primeiro-ministro Binyamin Netanyahu havia informado anteriormente que 300 apartamentos seriam erguidos na comunidade de Beit El.

Atias disse que há terrenos disponíveis nos assentamentos de Ariel, Maale Adumim, Adam, Efrat e Kiryat Arba.

O anúncio israelense foi criticado pelos EUA. “Temos muito claro que a continuidade da atividade colonizadora na Cisjordânia abala os esforços de paz e contradiz os compromissos e obrigações israelenses”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner.

Os palestinos temem que os assentamentos, construídos em territórios capturados em 1967 por Israel, inviabilizem a criação do seu Estado. Desde 2010, eles condicionam a retomada do processo de paz na região ao congelamento da atividade colonizadora.

A Corte Mundial da ONU considera que os assentamentos são ilegais, mas Israel, citando ligações bíblicas e históricas com o território, contesta isso.

PARLAMENTO

Netanyahu obteve uma vitória no Parlamento contra deputados de ultradireita que pretendiam legalizar todas as moradias de colonos em terrenos pertencentes a palestinos na Cisjordânia.

O líder da direita disse que pretende agora cumprir uma sentença da Suprema Corte e aceitar a retirada de cinco apartamentos construídos em áreas disputadas de Beit El.

O projeto derrotado no Parlamento por 69-22 votos era apontado por críticos como uma violação ao Estado de direito em Israel, já que se sobrepunha a uma decisão da Suprema Corte e legalizava retroativamente esses imóveis e milhares de outros nas mesmas condições.

Horas antes da votação, Netanyahu obteve aprovação do Ministério Público para transferir as 30 famílias alojadas nos imóveis disputados para uma zona militar próxima a Beit El. Líderes dos colonos e seus apoiadores parlamentares, inclusive membros do partido Likud, de Netanyahu, eram contra essa proposta.

Nesse contexto, a promessa de Netanyahu para a construção de 300 novas moradias na Cisjordânia foi uma aparente tentativa de satisfazer os colonos e seus simpatizantes, tradicional base eleitoral do Likud.

 

 

Folha.com

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br