29 de maio de 2012 - 09:49

Dez países expulsam embaixadores sírios em repúdio a massacre

Dez países expulsaram os embaixadores da Síria nesta terça-feira em repúdio à morte de 108 pessoas na cidade de Houla, na última sexta-feira (25). Outros três países — Holanda, Bélgica e Suíça — declararam os representantes do regime de Bashar al Assad persona non grata.

Até o momento, Estados Unidos, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia, Bulgária, Canadá, Espanha, França, Itália e Reino Unido expulsaram o corpo diplomático do regime sírio no país.

Holanda e Bélgica, que compartilham o mesmo embaixador, declararam o representantepersona non grata nos países, mas ele só poderá ser expulso caso a União Europeia também repudie a presença do diplomata. O mesmo acontece na Suíça, cujo representante sírio também atua na França.

Shaam News – 26.mai12/France Presse
Corpos das vítimas do massacre em Houla (Síria); entre os mortos estão mais de 30 crianças
Corpos das vítimas do massacre em Houla (Síria); entre os mortos estão mais de 30 crianças

Mais, cedo, o Departamento de Estado americano deu 72 horas para que o encarregado de negócios sírio em Washington, Jabbour Zuheir, abandone o país, informou a porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland.

Apesar da saída de diversos países ocidentais, o Itamaraty confirmou que não pretende retirar o embaixador sírio no Brasil no momento, de acordo com o chanceler Antonio Patriota.

De acordo com o porta-voz da chancelaria brasileira, Tovar Nunes, o “diálogo com a Síria tem que ser mantido”. “Se expulsarmos os diplomatas sírios do país, não vai ter mais diálogo”, afirmou.

ELOGIOS

Israel, que não tem relações diplomáticas com a Síria, comemorou a decisão dos países ocidentais.

“A expulsão dos embaixadores da Síria é um novo passo no caminho para derrotar o regime da família Assad. Outros governos do mundo deveriam agir de maneira similar”, disse o ministro israelense da Defesa, Ehud Barak. Assad, acrescentou Barak, “não pode continuar fazendo parte da comunidade das nações”.

O grupo oposicionista CNS (Conselho Nacional Sírio) também congratulou a comunidade internacional pela expulsão dos representantes diplomáticos.

“O CNS dá apoio total a essas medidas” e “convoca a comunidade internacional a romper todos os laços diplomáticos com o regime sírio”, declarou o grupo oposicionista, em comunicado oficial.

CESSAR-FOGO

O movimento ocidental de repúdio ao regime de Assad é o ponto culminante, até o momento, de meses de desgaste e comoção mundial com os eventos na Síria.

O acordo de cessar-fogo intermediado pelo negociador da ONU, Kofi Annan, que volta a se encontrar hoje com o ditador Bashar al Assad, mostrou pouco efeito.

Antes do massacre em Houla e após o acordo de cessar-fogo, quase 2.000 já morreram por conta da repressão do regime sírio e de confrontos com os movimentos insurgentes.

No episódio, mais 87 pessoas morreram somente no domingo, além de outras 41 nesta segunda. Relatos iniciais da oposição apontam outras dezenas nesta terça-feira.

A sucessão de episódios violentos parece ter afetado até mesmo os poucos aliados que Assad ainda tinha junto à comunidade internacional.

Ontem, até mesmo a Rússia, uma das vozes isoladas em defesa de Assad, apontou a culpa (parcial) do regime sírio no massacre de Houla.

 

 

Folha.com

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br