10 de maio de 2012 - 09:12

Dois atentados deixam 55 mortos e mais de 300 feridos na Síria

  • Sana/Reuters

    Veículo fica em chamas após duas explosões classificadas pela imprensa local como "terroristas"Veículo fica em chamas após duas explosões classificadas pela imprensa local como “terroristas”

O número de feridos nos dois atentados a bombas realizados nesta quinta-feira (10) em Qazaz, na periferia de Damasco, na Síria, subiu para 372 e o de pessoas mortas para 55, segundo informações do Ministério do Interior do país.

A TV estatal da Síria difundiu imagens de corpos carbonizados em dezenas de veículos, informando que os ataques “terroristas” ocorreram em uma rodovia no sul, “no momento em que as pessoas se dirigiam ao trabalho e à escola”.

O duplo atentado aconteceu perto de duas sedes dos serviços de Inteligência Palestina, onde dezenas de carros e ônibus pegaram fogo, segundo informações da Agência EFE. A ordem das explosões ainda é desconhecida.

Escombros, sangue, vidros e janelas de edifícios próximos cobriram o solo e as detonações abriram um buraco de quase dois metros de profundidade. Uma das explosões abriu uma cratera de 10 metros no solo e lançou destroços sobre uma vasta área. Corpos ensanguentados e partes de corpos podiam ser vistos na estrada.

O emissário da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan, condenou os atentados. “Estes atos odiosos são inaceitáveis e a violência na Síria deve parar”, afirmou Annan em comunicado.

O secretário geral da Liga Árbe, Nabil al Arabi, disse que os atentados “terão consequências graves” para o futuro da missão dos observadores internacionais no país. “Quem está por trás dos atentados tentou frustrar a missão dos observadores internacionais e realizar na Síria mais atos de violência, assassinatos e derramamento de sangue”, disse Al Arbi em declaração a jornalistas no Cairo (Egito).

O regime sírio considerou este ataque como uma prova de que vem combatendo terroristas que tentam derrocá-lo, e não uma revolta popular.

Uma equipe de observadores da ONU se transferiu para inspecionar o lugar dos atentados. No local, o chefe da missão, o general norueguês Robert Mood, afirmou que “este ato terrorista” não representa uma solução para os problemas da Síria. Os observadores se estão no país para verificar o cumprimento do plano de paz da ONU, que estipula, entre outras coisas, um cessar-fogo, em vigor desde 12 de abril.

 

 

UOL

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br