27 de abril de 2015 - 08:50

Reconstrução no Nepal pode chegar a US$ 5 bilhões, estima consultoria dos EUA

Mesmo antes do terremoto de magnitude 7,8 atingir o Nepal no último sábado (25), a vida do país asiático era assolada de desafios: uma economia extremamente fraca, corrupção desenfreada e uma série de acidentes no monte Everest, a sua principal atração turística.

Com a devastação generalizada, o custo econômico total de reconstrução no Nepal poderia chegar a US$ 5 bilhões, de acordo com uma estimativa antecipada da IHS –empresa de análise de riscos. O Serviço Geológico dos Estados Unidos disse que o valor dos danos pode ficar entre US$ 1 bilhão e US$ 10 bilhões, mas pode aumentar.

“O terremoto teve um impacto devastador na economia do Nepal, um país muito pobre e com capacidades de financiamento extremamente limitadas para a reconstrução com seus próprios recursos”, afirmou Rajiv Biswas, economista-chefe para a região Ásia-Pacífico da consultoria IHS em entrevista à CNN.

“O custo total de reconstrução no Nepal no longo prazo, se forem usados os parâmetros de construção apropriados para regiões vulneráveis a terremotos, pode superar os US$ 5 bilhões, aproximadamente 20% do PIB (Produto Interno Bruto) do Nepal”, completou.

“Precisa-se urgentemente de equipes internacionais de socorro e de resgate, assim como ajuda financeira e técnica internacional em grande escala para reconstruir a economia no longo prazo”, enumerou o especialista.

O Nepal tem um PIB per capita de apenas US$ 1.000 por pessoa, segundo a consultoria IHS, com muitas famílias pobres que dependem da agricultura e, cada vez mais, do turismo para sobreviver.

A agricultura é o setor mais importante da economia e emprega mais de 70% da população, representando 33% do PIB, de acordo com o site da consultoria.

Situada no alto das montanhas entre a Índia e a China, a economia do Nepal gera apenas US$ 20 bilhões em atividade por ano, o que a torna uma das menores do mundo. Com um PIB per capita anual de cerca de US$ 1.000, muitas famílias já vivem na pobreza, e alguns dependem de financiamento de parentes que vivem no exterior.

Um funcionário do Banco Asiático de Desenvolvimento, Hun Kim, considerou que 40% da economia do país foi afetada.

“A agricultura representa mais de 30% do nosso PIB e com 36 distritos afetados não é provável que nossas projeções econômicas se cumpram. Tempos difíceis estão por vir”, disse à AFP Bishamber Pyakurel, um economista de Katmandu.

“A demanda de produtos de primeira necessidade está aumentado, mas há uma oferta restrita”, acrescentou, advertindo que o preço dos alimentos deve começar a subir.

Turismo de escalada e cultural

O PIB do Nepal cresceu 5,48% no ano passado, segundo o site do instituto de estatísticas o país. O percentual é considerado muito satisfatório comparado com o crescimento de apenas 0,16% de 2002, quando a insurreição maoísta estava no auge.

O turismo tem sido uma atividade crucial para o crescimento econômico. O Nepal atraiu quase 800 mil visitantes estrangeiros em 2013, muitos deles chegados para escalar o Everest, e outros para conhecer a rica história cultural de Katmandu.

Parte da capital ficou em ruínas e milhares de habitantes estão em tendas de campanha, com suas casas foram reduzidas a escombros após o terremoto.

 

 

UOL com agências internacionais e CNN

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br