15 de março de 2015 - 08:16

Ministros falam sobre manifestações e anunciam conjunto de medidas anti-corrupção

Os ministros Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência da República e José Eduardo Cardozo, da Justiça, expressaram, na noite deste domingo (15), a posição do governo acerca das manifestações ocorridas no País.

Em coletiva cedida à imprensa, Rossetto e Cardozo revelaram que o governo vai apresentar um conjunto de medidas anti-corrupção, e expressaram a abertura do diálogo para a construção de novas propostas e pediram a reforma no sistema político.

Em sua fala, Cardozo ressaltou o caráter democrático das manifestações e do respeito expressado entre autoridades e manifestantes. “Essa situação apenas confirma que o Brasil vive um estado democrático, um estado que admite a divergência, que admite a existência de opiniões contrarias e de fato está muito longe de qualquer alternativa golpista”, disse.

O ministro da Justiça ainda destacou que o governo está atento às manifestações dos brasileiros. “O governo respeita o diálogo, as divergências, defende que com tolerância as pessoas dialoguem entre sim para que possamos encontrar a melhor alternativa para os brasileiros. É importante ter claro que, seja nas manifestações de sexta ou hoje, há um ponto de identidade: é justamente o desejo de combate firme e rigor à corrupção e a impunidade.”

Cardozo ainda lembrou que é importante punir os culpados e tornar o estado brasileiro capacitado para que os casos revelados não aconteçam novamente. Com isso, disse que o governo vai apresentar um conjunto de de combate à corrupção.

“É por isso que o governo, que tem uma clara postura de combate à corrupção, irá, nos próximos dias anunciar algo que já era uma promessa eleitoral, um conjunto de medidas de combate à corrupção. A postura do governo é que as ações não se encerrem por aí. Estamos abertos ao diálogo seja para quem apoia ou para quem critica”, comentou.

Ainda em sua fala, o Cardozo destacou que o momento pede mudança do sistema político do Brasil. “Na nossa avaliação é um sistema político anacrônico que constitui a porta de entrada principal para a corrupção no país. É preciso mudá-la através de uma ampla reforma política. Além da necessária reforma que o ponto deve ser enfrentado e debatido com todo os  brasileiros: não é mais possível que tenhamos financiamento de empresas. É preciso fechar essa porta.”

Em sua fala, o ministro Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência da República, destacou que as manifestações dão sinais de que o governo precisa ampliar o diálogo. Ele ainda lembrou a necessidade das medidas de ajuste, principalmente na área econômica, que o momento do País exige.

“Todos nós temos no governo responsabilidade de sustentar um padrão de economia em crescimento, capaz de gerar crescimento e renda. Para isso, o governo apresentou um conjunto de medidas com o objetivo de arrumar as contas públicas para retomarmos um ambiente de crescimento, geração de emprego e preservação dos grandes programas sociais”, comentou.

Para Rossetto, o exemplo que deve ser seguido em busca de um entendimento nas medidas de ajuste é o do Imposto de Renda. “Em dialogo com as lideranças o governo consegue responder a necessidade e e receitas e ao mesmo tempo assegura a correção da tabela do IR nas baixar rendas”, destacou, ainda ressaltando que o diálogo estará presente quando medidas de ajuste forem necessárias.

 
Portal Brasil

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br