9 de fevereiro de 2015 - 07:04

Conheça destinos brasileiros de ecoturismo para aproveitar o Carnaval

O Carnaval é um dos períodos mais festivos do Brasil, mas muitas pessoas preferem utilizar o feriado para viajar e aproveitar as belezas naturais do País.

Em todas as cinco regiões, as opções são inúmeras. Confira alguns dos principais destinos do ecoturismo brasileiro:

Bonito (MS)

                                                                              Divulgação/Secretaria do Turismo de Bonito  Bonito (MS)

Bonito (MS)

Polo mundial do ecoturismo, a cidade de Bonito está situada no estado do Mato Grosso do Sul e é famosa por suas paisagens naturais, rios de águas transparentes, cachoeiras, grutas e cavernas.

Juntamente com Jardim, Guia Lopes da Laguna e Bodoquena, é o principal município que integra o complexo do Parque Nacional da Serra da Bodoquena.

Em 2014, Bonito foi reconhecida como um dos 100 destinos mais sustentáveis no mundo, em uma lista elaborada pela organização internacional Green Destinations. A seleção foi feita por 30 especialistas com base em seis critérios: natureza; meio ambiente; cultura e tradição; bem estar social; economia verde e política de turismo verde certificada.

Entre os principais atrativos turísticos da cidade, destacam-se o Abismo Anhumas, o Aquário Natural de Baía Bonita, a Cachoeira Boca da Onça, a Gruta do Lago Azul, as Cachoeiras do Rio do Peixe, o Rio Sucuri e o Rio da Prata.

Bonito reúne um conjunto de equipes, empresas, ONGs e órgãos governamentais que buscam organizar e coordenar o ecoturismo, visando a sustentabilidade local e a conservação da natureza.

Entre os investimentos do Ministério do Turismo no município, está o repasse de R$ 4,8 milhões para obras de pavimentação e drenagem em áreas de grande impacto turístico. O montante total chega a R$ 39,4 milhões nos últimos 10 anos.

Conheça a cidade de Bonito (MS).

Chapada dos Veadeiros (GO)

                                                                                                                            Divulgação/ICMBioChapada dos Veadeiros (GO)

Chapada dos Veadeiros (GO)

Criado em 1961, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está localizado no estado de Goiás, entre os municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e Colinas do Sul. Com uma área de 65,5 mil hectares de cerrado, a região abriga cachoeiras, rios cristalinos, formações vegetais únicas, centenas de nascentes e cursos d´água, rochas com mais de um bilhão de anos e paisagens de rara beleza.

A caminhada e banhos de cachoeira são as principais atividades nas imensas paisagens da Chapada. O parque, que foi declarado Patrimônio Mundial Natural em 2001 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), também preserva áreas de antigos garimpos. Hoje, as rotas percorridas por garimpeiros são utilizadas pelos turistas.

Os visitantes podem percorrer quatro trilhas para chegar aos atrativos do Parque Nacional: Travessia das Sete Quedas, Trilha dos Saltos, Trilha dos Cânions e Trilha da Seriema.

Estrada

Ir até a vila de São Jorge, entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, ficou mais fácil e mais seguro após a finalização do trecho da GO 239, que liga Alto Paraíso de Goiás (a 220km de Brasília) até o local. Os 18 km de estrada de chão agora estão asfaltados e até uma ciclovia foi construída para os turistas esportivos. A estrada ao todo tem 32 km de extensão.

Alto Paraíso recebe em média 100 mil turistas por ano. A expectativa é que esse número aumente com a finalização da estrada. A principal atividade que movimenta a economia local é o ecoturismo no parque nacional e em fazendas particulares, com trilhas e atividades como rapel nas cachoeiras.

O Ministério do Turismo já investiu mais de R$ 3,9 milhões em 16 obras de infraestrutura turística em Alto Paraíso, entre elas de sinalização turística, pavimentação asfáltica e centro de atendimento ao turista.

Conheça o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Fernando de Noronha (PE)

Divulgação/Site Oficial do Arquipélago de Fernando de NoronhaFernando de Noronha (PE)

Fernando de Noronha (PE)

“O paraíso é aqui”, descreveu Américo Vespúcio ao chegar a Fernando de Noronha (PE), em 1503. Localizado a 545 km da costa pernambucana, e com uma população de apenas 3.500 habitantes, o arquipélago de 17 km² prioriza o turismo sustentável como forma de preservar um dos santuários ecológicos mais importantes do planeta. Em 2001, o local foi intitulado “Patrimônio Mundial Natural” pela Unesco.

Em Noronha, a principal atividade turística é o mergulho. Poucos os lugares no mundo têm média de temperatura da água de 26° e visibilidade de até 50 metros, além da extensa diversidade de vida marinha. Os locais mais comuns para os mergulhos são: o naufrágio do Porto de Santo Antônio, o Morro de Fora na praia da Conceição ou a Baía do Sueste.

Para os fãs de caminhadas, a região oferece trilhas como as do Leão, Golfinho, Atalaia e Histórica, onde é possível observar as paisagens das ilhas secundárias, o Morro dos Dois Irmãos, praias paradisíacas, além de antigos casarios, igrejas, fortes e ruínas de antigos presídios.

Conheça Fernando de Noronha (PE).

Ilha de Marajó (PA)

                                                                                               Divulgação/Ministério do TurismoIlha de Marajó (PA)

Ilha de Marajó (PA)

A ilha do Marajó, no estado do Pará, está entre os mais importantes cenários ecológicos do Brasil. Com cerca de três mil ilhas e ilhotas, a região é o maior arquipélago flúvio-marítimo do planeta, e possui exuberantes riquezas naturais espalhadas nos cerca de 40 mil km².

A viagem é ideal para quem gosta de ecoturismo: lagos, manguezais, igarapés, sítios arqueológicos, pântanos e praias de rio são algumas das riquezas naturais que a ilha oferece. Pode-se chegar à ilha de avião, em uma viagem de 30 minutos de Belém para Soure, ou de barco, de Belém a Camará, em uma viagem que dura cerca de três horas.

A região, que também é uma Área de Proteção Ambiental (APA), atrai turistas brasileiros e estrangeiros devido às suas praias extensas. É possível observar de perto animais como os guarás vermelhos, capivaras, cavalos e búfalos.

Muitos hotéis e pousadas oferecem excursões, safaris fotográficos e pesca. A praia Barra Velha Araruna, que fica a apenas dois quilômetros de Soure, é ideal para um mergulho.

A 45 minutos da cidade fica uma das mais belas praias de Marajó: a Praia Joanes, com cerca de 2 km de extensão. Para os amantes de esportes radicais e de natureza, a ilha oferece as ondas gigantes da pororoca, um encontro das águas do rio Amazonas com o mar do oceano Atlântico.

No verão amazônico, de junho a novembro, o viajante pode percorrer os campos onde garças, guarás (aves de cor avermelhada), e dezenas de outros pássaros procuram alimento entre os rebanhos de gado zebu. E no inverno, período que mais chove no Marajó (janeiro a maio), é possível cruzar em barcos esses mesmos campos, entre lindos jardins aquáticos.

Conheça a Ilha de Marajó (PA).

Cataratas do Iguaçu (PR)

                                                                                                                           Divulgação/ICMBioCataratas do Iguaçu (PR)

Cataratas do Iguaçu (PR)

Um dos destinos mais procurados por turistas estrangeiros que viajam ao Brasil, as Cataratas do Iguaçu, na cidade de Foz do Iguaçu (PR), estendem-se numa frente semicircular de 2.700 metros de extensão, dos quais 800 metros estão do lado brasileiro e 1.900 metros do lado argentino. São compostas por um número variado de saltos e quedas, que oscilam de acordo com o volume de água do rio.

A altura máxima das quedas é de 80 metros. Os saltos têm nomes como Floriano, Deodoro, Benjamim Constant, sendo o mais famoso denominado de a Garganta do Diabo. A cidade, que tem a tríplice fronteira entre Argentina, Paraguai e Brasil, é a porta de entrada de boa parte dos sul-americanos que visitam o País.

Desde 1986, o Parque Nacional do Iguaçu possui o título de “Sítio do Patrimônio Mundial Natural”, concedido pela Unesco. Em 2011, as cataratas, principal atração do parque, ganhou o reconhecimento como uma das “7 Maravilhas da Natureza” por votação aberta a pessoas de todo o mundo, da fundação suíça New 7 Wonders.

Unido pelo rio Iguaçu ao Parque Nacional Iguazú, na Argentina, o Parque integra o mais importante contínuo biológico do Centro-Sul da América do Sul, com mais de 600 mil hectares de áreas protegidas e outros 400 mil em florestas ainda primitivas.

Desde 2006, o Ministério do Turismo investiu cerca de R$ 6 milhões em obras de sinalização turística, centro de informações ao turista, revitalização de praça e centro de eventos na cidade de Foz do Iguaçu.

Conheça as Cataratas do Iguaçu (PR).

Brotas (SP)

                                                                              Divulgação/Secretaria do Turismo de BrotasBrotas (SP)

Brotas (SP)

Considerada a capital paulista do turismo de aventura, Brotas, no interior do estado, é pura adrenalina. A região é um dos maiores centros de prática de ecoturismo e esportes radicais no Brasil. Rafting, boia-cross (descida radical em boias nos rios), cicloturismo, escalada, rapel e cavalgadas são algumas das opções que o visitante encontra.

As corredeiras e quedas do rio Jacaré-Pepira permitem a prática dos esportes aquáticos. As cachoeiras, embora em fazendas particulares, estão abertas à visitação mediante ingresso, e são acessíveis por trilhas de diferentes dificuldades. A prática de arvorismo, tirolesa e canyoning (rapel em cachoeira) também é possível, assim como a de mountain bike.

A ausência de poluição química e luminosa em Brotas permite a observação do céu por telescópio, atividade mantida pelo Centro de Estudos do Universo, localizado no bairro de Campos Elíseos.

Conheça Brotas (SP).

 
Ministério do Turismo

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br