24 de abril de 2014 - 02:07

Ucrânia retoma controle de cidade pró-russa no leste; cinco morrem

KIEV  – O governo da Ucrânia lançou nesta quinta-feira, 24, uma operação contra milícias pró-Rússia na cidade de Slaviansk, no sudeste da Ucrânia. Ao menos cinco pessoas morreram e três postos de controle erguidos por separatistas foram destruídos por tropas especiais leais a Kiev. O presidente russo, Vladimir Putin, advertiu as autoridades da Ucrânia de que as operações terão “consequências”.

Segundo o ministério do Interior da Ucrânia, um policial ficou ferido nos combates, a única baixa entre as forças de segurança. Slaviansk, com cerca de 120 mil habitantes, é o bastião da sublevação pró-Rússia contra o governo de Kiev, que eclodiu há quase três semanas nas regiões do sudeste da Ucrânia, cuja maioria da população fala russo.

“Estamos cercados. Temos força suficiente para oferecer resistência”, assegurou em declarações ao canal russo “Rossiya 24” o autoproclamado prefeito de Slaviansk e líder das milícias locais, Viacheslav Ponomariov.

Segundo Ponomariov, duas colunas de blindados estão muito próximas à cidade, enquanto um correspondente da “Rossiya 24” informou que vários militares já entraram em Slaviansk.

Os moradores da cidade, situada a 120 quilômetros de Donetsk, dizem ter ouvido muitos disparos em alguns postos de controle levantados pelos milicianos nos acessos à cidade, segundo o jornal digital local “Slavgorod”.

O governo ucraniano anunciou ontem que retomaria a operação antiterrorista contra as formações armadas ilegais no sudeste do país. A decisão foi adotada pelo presidente interino da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, depois de serem encontrados em Slaviansk o corpo do deputado da assembleia municipal de Gorlovka, Vladimir Ribak, que pertencia ao partido Batkivschina (Pátria), a maior formação da coalizão que governa em Kiev.

Ameaças. Putin voltou a elevar a pressão sobre Kiev. O chefe do Kremlin acusou  o governo interino ucraniano de cometer um crime grave contra seu próprio povo. “A operação punitiva terá clara consequências para as pessoas que tomaram essa decisão, e também para as relações entre os dois Estados”, disse o líder russo. “Já veremos como se desenvolvem os eventos.”

Áreas de minoria russa na Ucrânia têm se rebelado contra o atual governo, formado após meses de protestos que derrubaram o presidente pró-Kremlin Viktor Yanukovich.  A Península da Crimeia, em referendo, decidiu se separar da Ucrânia e se unir à Rússia.

 

 

Estadão com EFE

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br