13 de janeiro de 2014 - 10:19

Potências anunciam que acordo nuclear com o Irã entra em vigor em uma semana

Autoridades dos Estados Unidos, da União Europeia e do Irã anunciaram neste domingo que o acordo assinado com Teerã, para congelar seu programa nuclear, entrará em vigor a partir do dia 20 de janeiro.

O acordo, alcançado em novembro, prevê que o Irã permita o acesso de inspetores nucleares ao país e suspenda parte de seu programa de enriquecimento de urânio.

Em troca, potências internacionais vão amenizar algumas das sanções internacionais impostas à Teerã.

O Irã sempre negou que seu programa tivesse como objetivo obter armas nucleares, alegando que a única finalidade é suprir a demanda de energia do país.

Autoridades do alto escalão do governo americano disseram à BBC que entre os principais pontos que foram acordados nas últimas seis semanas dizem respeito à maneira como os inspetores receberão autorização para visitar as instalações nucleares do Irã. Segundo eles, os resultados do acordo envolvem:

– O Irã vai começar a diluir seu estoque de urânio enriquecido a 20% a partir de 20 de janeiro

– Todo o urânio desse tipo será destruído em seis meses

– Será permitido o acesso diário ao centro de enriquecimento de urânio na cidade de Qom

– Inspeções mensais serão autorizadas no reator de Arak

Alerta e ameaça

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, celebrou o anúncio, mas disse que ainda há muito trabalho a ser feito até que se alcance um acordo a longo prazo – o tratado entrará em vigor na próxima semana de forma interina.

“A partir do dia 20, o Irã vai, pela primeira vez, começar a eliminar seu estoque de urânio enriquecido e a desmantelar parte da infraestrutura que torna esse enriquecimento possível”, disse.

No entanto, em um alerta ao Congresso americano, Obama afirmou que durante as negociações ele vetará qualquer legislação que busque impor novas sanções a Teerã.

“Mas se o Irã não cumprir suas obrigações no acordo, vamos intensificar as sanções.”

Menos quantidade e mais qualidade

A chefe da política externa da União Europeia, Catherine Ashton, disse que as potências mundiais iriam pedir que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) acompanhasse a implementação do acordo.

Nas negociações, Catherine representa os cinco membros permanente do Conselho de Segurança da ONU – EUA, Rússica, França, China e Grã-Bretanha – além da Alemanha.

“Foram criadas as fundações para uma implementação coerente e robusta de um plano conjunto de ação para os próximos seis meses”, disse.

Como contrapartida por congelar o enriquecimento e neutralizar o estoque de urânio, o Irã vai ser beneficiado pela suspensão de parte das sanções internacionais, especialmente no que diz respeito ao setor automotivo, de metais preciosos e petroquímico do país.

O negociador para a questão nuclear do Irã, Abbas Araqchi, disse que o país não vai reduzir o trabalho em termos de pesquisa e desenvolvimento, mas iria interromper as ampliações nas instalações nucleares.

“Por exemplo, Nenhuma nova centrífuga será implementada. Não vamos expandir a quantidade do nosso programa, mas vamos expandir a qualidade.”

O secretário de Estados dos EUA, John Kerry, disse que a implementação do acordo era um passo importante, mas alertou para a relevância da próxima fase, que traz um “desafio ainda maior” para se criar um pacto mais definitivo.

“As negociações serão muito difíceis, mas elas são a melhor chance que temos para resolver esse grave problema de segurança nacionais de uma maneira pacífica e durável.”

 

 

BBC Brasil

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br