21 de novembro de 2013 - 10:53

Prefeito de Cabedelo surpreende com renúncia ao cargo

(Ex-prefeito de Cabedelo, José Maria de Lucena Filho, o Luceninha (PMDB))

(Ex-prefeito de Cabedelo, José Maria de Lucena Filho, o Luceninha (PMDB))

A cidade de Cabedelo foi surpreendida ontem com o anúncio da renúncia do prefeito José Maria de Lucena Filho, o Luceninha (PMDB). Os motivos da renúncia não ficaram bem esclarecidos pelo gestor no comunicado que fez à Câmara Municipal. “Tenho buscado trabalhar para garantir o melhor para nossa cidade e sua população, que me honrou com sua escolha, mas percebo que me faltam as forças necessárias para continuar esta jornada”, afirmou Luceninha.

Após receber o pedido de renúncia, o presidente da Câmara Municipal, Lucas Santino (PHS), convocou os vereadores para uma sessão extraordinária para declarar a vacância do cargo e ao mesmo tempo empossar o vice-prefeito, Wellington Viana França, o Leto Viana, no comando da Prefeitura de Cabedelo.

Em um discurso rápido, após a assinatura do termo de posse, ele disse que estava ciente da missão que terá pela frente. “Sei de toda a responsabilidade que paira sobre meus ombros, mas também sei que sou um homem bem intencionado. Com o apoio de Deus e com o apoio da população e da Câmara de Vereadores vamos fazer uma boa administração”, disse.

Na carta renúncia entregue ao presidente da Câmara de Vereadores, Luceninha disse que vai divulgar uma nota pública ao povo de Cabedelo justificando o seu gesto e deixou claro que não estava encontrando forças para suportar os problemas que enfrentava. “Ter coragem muitas vezes é aceitar que não podemos ir além, mesmo sabendo que podemos decepcionar aqueles que amamos e que em nós depositaram tanta esperança”.

Ele destacou que os problemas de saúde também contribuíram para a decisão de renunciar ao cargo de prefeito. “Problemas de saúde que passaram a insistentemente manifestar-se no cotidiano de minha vida, o sacrifício imposto a meus familiares e o reconhecimento de meus limites, não deixam outra alternativa que não seja deixar o cargo”. Mais adiante, ele afirmou que assumia toda a responsabilidade da renúncia e que contou com a solidariedade da família.

Luceninha foi eleito prefeito de Cabedelo com 78,04% dos votos, por uma coligação formada por 19 partidos políticos. Ao se despedir do cargo, ele desejou êxito ao prefeito que assume. “Não será a vaidade da ocupação desta honrosa função pública, de que agora me despeço, que inibirá minha coragem de tomar esta decisão de desprendimento pessoal e compromisso público na certeza de que a cidade estará melhor governada pelas mãos de meu natural sucessor”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leto Viana tomou posse ainda nesta quarta-feira (20), ele chegou na cerimônia de posse acompanhado do empresário Roberto Santiago (Foto: Kleide Teixeira)

 

PREFEITO “NÃO SUPORTOU A PRESSÃO”

A notícia da renúncia de Luceninha pegou todo mundo de surpresa. Auxiliares próximos do prefeito disseram que despacharam com ele e em nenhum momento desconfiaram de nada. Na Câmara Municipal, os vereadores da base governista também se disseram surpresos com o gesto do prefeito. “Dizem que a política é uma caixinha de surpresa. Eu era o líder dele aqui na Câmara e ele nunca conversou comigo a respeito disso”, afirmou o vereador Rosivan Neves (PT).

O parlamentar disse que recebeu a notícia do próprio prefeito durante um almoço. “Eu só acreditei quando vi a carta de renúncia já passada em cartório e entregue ao presidente da Câmara”. Segundo o vereador, não foi só por problemas de saúde que Luceninha renunciou ao cargo de prefeito, conforme ele mesmo revelou na carta renúncia. “Eu entendo que existem outras coisas em volta que neste momento a gente não pode falar”, comentou Rosivan.

Na opinião do vereador, o prefeito Luceninha não suportou a pressão que vinha recebendo da população. “Ele teve quase 80% dos votos, foi muito compromisso assumido e o povo é 24 horas cobrando isso. Talvez ele não tenha tido pulso para administrar essas questões. Ele quis administrar a cidade com o coração e esqueceu a razão. Nesse caso, infelizmente, da forma como ele estava indo, a gente já sentia que não tinha como”, destacou o líder da bancada governista.

O presidente da Câmara Municipal de Cabedelo, Lucas Santino, foi uma das poucas pessoas que conversaram com o prefeito Luceninha momentos antes da renúncia. “Ele me relatou que o motivo da renúncia é que ele pegou uma prefeitura com muitos débitos. Ele alegou que para ficar num cargo só para dizer que é prefeito, por uma questão de vaidade pessoal, era melhor abrir mão do próprio cargo para entregar ao vice-prefeito, que é uma pessoa da sua inteira confiança”.

PROBLEMAS ENCONTRADOS EM CABEDELO

José Maria de Lucena Filho, Luceninha, recebeu votação expressiva nas eleições municipais de 2012, 78,04% dos votos válidos, e governou por 11 meses com total apoio da Câmara de Vereadores. Dos 15 parlamentares eleitos, 14 integram a bancada do governo.

Entre os feitos recentes do então prefeito, está a derrubada da Lei Complementar nº 36, de 10 de abril de 2012, aprovada na gestão anterior, que acarretaria reajuste de cerca de 2.000% no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de alguns contribuintes. A lei determinava a correção de 16 anos do IPTU em apenas um ano. Luceninha entrou com uma ação na Justiça e lançou, no mês passado, o IPTU 2013 com reajuste de 5,53%, determinado com base na Planta Genérica de Valores de Terrenos e na Tabela de Preços de Construção vigente no exercício 2012.

Em julho, aprovou na Câmara a redução dos salários dos secretários municipais e adjuntos, e também dos servidores que assumiram cargos comissionados por 8 anos e possuem salário incorporado. A medida, defendeu, “foi necessária para possibilitar à sociedade a realização de obras de infraestrutura tão necessárias na cidade”. Na saúde, entregou a Unidade de Saúde da Família do Jardim Oceania e reformou a USF da Rua Maria de Nazaré Jorge de Sena, no Centro.

Em entrevista concedida ao Jornal da Paraíba após 100 dias de governo, Luceninha falou sobre as principais dificuldades encontradas na Prefeitura de Cabedelo. Entre as queixas do então prefeito, um débito de mais de R$ 17 milhões deixado pela administração anterior. Havia, segundo Luceninha, R$ 5 milhões de dívidas de folha de pagamento, R$ 4 milhões do lixo e diversos convênios e contratos de consultorias que não haviam sido pagos.

Na ocasião, o prefeito comemorou – e apontou como grande feito da gestão – a retirada do município de Cabedelo do Cadastro Único de Convênios (Cauc), que impedia a celebração de convênios com o governo federal há 8 anos. Até aquele momento, o prefeito já havia garantido recursos federais na ordem de R$ 27,6 milhões para este ano, que incluía R$ 10 milhões do Ministério da Integração, R$ 7 milhões do Ministério das Cidades e R$ 2 milhões do Ministério do Turismo, além de emendas dos deputados Manoel Júnior e Nilda Gondim, e do senador Cássio Cunha Lima.

 

 

JPOnline

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br