19 de novembro de 2013 - 07:01

França busca atirador que atacou jornal, emissora e banco em Paris

Entrada do Société Générale (Getty Images)Motivações de atirador, que está foragido, ainda são um mistério

 

A polícia francesa está à caça de um atirador acusado de atacar nesta segunda-feira as sedes do jornal Libération e do banco Société Générale em Paris.

Um fotógrafo de 27 anos foi gravemente ferido na redação do Libération.

Autoridades acreditam se tratar do mesmo homem que invadiu o escritório parisiense da emissora noticiosa BFMTV na sexta-feira.

Segundo o Libération, as imagens do suspeito são parecidas com o do agressor da BFMTV – na ocasião, ele disparou todas as balas do cartucho de sua arma na recepção da emissora.

“Na próxima vez, não vou errar”, disse o criminoso a um editor que ele ameaçou.

Acredita-se que o suspeito seja um homem entre 40 e 45 anos, de cabeça raspada e acima do peso.

Policiais estão vigiando as principais redações jornalísticas da capital francesa.

Ataques

O correspondente da BBC em Paris, Christian Fraser, relata que houve momentos de tensão na capital francesa nesta segunda-feira, quando um helicóptero policial sobrevoou a avenida Champs Élisées temendo que o atirador estivesse indo em direção à Torre Eiffel. Supõe-se que, em vez disso, ele tenha entrado no metrô.

Autoridades pediram que os parisienses permaneçam em casa se puderem.

A polícia diz que o suspeito estava calmo e seguro cada vez que fugiu dos locais onde disparou.

Às 10h15 (hora local) desta segunda-feira, o agressor entrou no escritório do Libération, no leste de Paris, e disparou – sem falar nada – atingindo um fotógrafo no peito e na barriga antes de escapar. O jornal diz que três cartuchos vazios de balas foram encontrados.

Duas horas depois, o banco Société Générale confirmou que um homem abriu fogo diante de sua sede, no bairro comercial de La Defense (oeste). Ninguém ficou ferido, informou o banco.

Uma testemunha disse ao jornal Le Figaro ter ouvido um forte disparo e ter visto um homem vestindo um casaco cáqui e um boné e carregando uma arma de fogo.

Houve pânico no local, e o suspeito fugiu, disse a testemunha.

Segundo a polícia, ele então obrigou um motorista de táxi a transportá-lo à Champs Élysées, sob ameaça de detonar uma granada.

Fotógrafo freelancer

O nome do suspeito não foi divulgado.

Relatos dão conta de que a vítima alvejada no jornal é um fotógrafo assistente freelancer recém-chegado ao Libération para trabalhar em uma sessão de fotos de moda. Era seu primeiro dia de trabalho.

A polícia isolou a área ao redor do jornal. O ministro do Interior, Manuel Valls, esteve no local, juntamente com a ministra da Cultura, Aurelie Filippetti, e do prefeito de Paris, Bertrand Delanoe.

“Enquanto essa pessoa estiver à solta e não soubermos suas motivações, ela representa uma ameaça”, disse Valls. “Precisamos agir rápido.”

O presidente francês, François Hollande, pediu que Valls mobilize todos os meios necessários para identificar o suspeito e esclarecer seus ataques.

“Em uma democracia, é muito, muito sério que alguém invada uma redação jornalística com uma arma, independentemente de seu estado mental”, disse o editor do Libération, Nicolas Demorand.

 

 

BBC Brasil

Outras Notícias

Últimas Notícias

© Copyright 2012 Portal Pedra Bonita - Email: contato@portalpedrabonita.com.br